Conexões de saberes sobre o trabalho: Diversidade produtiva, ofícios e trabalhadores de mineração (Mirian de Cassia Alves Niso)

Conexões de saberes sobre o trabalho: Diversidade produtiva, ofícios e trabalhadores de mineração (Mirian de Cassia Alves Niso)

Resumo Curto:

A pesquisa tem como objetivo sistematizar e divulgar novos conhecimentos sobre o setor mineral resultantes do diagnóstico e do confronto entre saberes disciplinares com os saberes de experiência produzidos no e pelo trabalho, visando caracterizar as atividades minerárias, seus ofícios e o perfil sóciodemográfico dos trabalhadores da mineração. Considerando heterogeneidade da produção mineral e multiplicidade de funções e ofícios que nela se desenvolvem, a definição de “ser mineiro” se torna mais complexa. Para captar a diversidade das unidades produtivas e suas atividades mineradoras, foram escolhidas três áreas de Minas Gerais: Área A (Pedro Leopoldo, Matozinhos, Vespasiano e Confins) devido à variedade de processos envolvidos na produção de calcário, determinados pelo seus variados usos; Área B (Congonhas) mostra a produção de minérios de alto valor econômico e; Área C (Ouro Preto) mostra a heterogeneidade da mineração em diferentes substâncias: ouro, gemas, ferro. Visando caracterizar as unidades produtivas, juntamente com os ofícios e os trabalhadores nela implicados, foi realizado um levantamento em documentos acadêmicos e dados das entidades governamentais e privadas que representam tanto os trabalhadores quanto a atividade mineral empresarial na área estudada.
A produção minerária da área foi caracterizada segundo os direitos minerários (tipo de direito, área, empresa, substância e uso) através de dados da ANM (Agência Nacional de Mineração). Foram sistematizadas informações sobre métodos de extração e beneficiamento praticados nas regiões estudadas com o objetivo de mapear ofícios e saberes envolvidos na atuação do profissional na cadeia produtiva da mineração.

 

Resumo Expandido:

A pesquisa tem como objetivo sistematizar e divulgar novos conhecimentos sobre o setor mineral resultantes do diagnóstico e do confronto entre saberes disciplinares com os saberes da experiência produzidos no e pelo trabalho, de modo a caracterizar as diferenças e semelhanças nas atividades produtivas, nos ofícios e no perfil sóciodemográfico dos trabalhadores da mineração. No entanto, como nas diversas unidades produtivas de extração, beneficiamento e transporte de bens minerais atuam trabalhadores cumprindo múltiplos ofícios e funções, a definição do que é “ser mineiro” torna-se mais complexa. Além disso, os diagnósticos publicados pelos órgãos governamentais e outras entidades públicas e privadas não captam a diversidade das unidades produtivas, muitas delas informais, bem como deixam obscuro o perfil dos trabalhadores da mineração.
Constata-se que os diferentes tipos de ofício ou funções guardam relação com as formas de organização do trabalho, com aspectos relacionados ao tipo de jazida, de minérios, e as relações sociais estabelecidas nas minas de pequeno, médio e grande porte. No entanto, um ponto nevrálgico quanto ao estudo das atividades extrativas minerais refere-se às limitações dos diagnósticos do setor, mesmo os publicados por órgãos oficiais: além das 9.058 minas cadastradas pela ANM (Agência Nacional de Mineração), distribuem-se em todos os estados dezenas de milhares de lavras ilegais de materiais para a construção civil, metais preciosos, gemas e minerais industriais, cuja contabilidade é pouco conhecida, da mesma forma que o número de trabalhadores nestas unidades produtivas.
As unidades produtivas escolhidas para estudo se encontram em três regiões de Minas Gerais: a Área A contendo os municípios de Pedro Leopoldo, Matozinhos, Vespasiano e Confins, produz calcário e é representativa devido à variedade de processos envolvidos em sua produção, determinados pelo seus variados usos; a Área B mostra a produção de minérios de alto valor econômico (Congonhas) e a Área C mostra a heterogeneidade da mineração em diferentes substâncias, com destaque para gemas (Ouro Preto). Visando caracterizar as unidades produtivas, juntamente com os ofícios e os trabalhadores neles implicados, foi realizado criterioso levantamento. A produção minerária foi caracterizada segundo os direitos minerários (tipo de direito, área, empresa, substância e uso) através de dados da ANM, de documentos acadêmicos (artigos) e dados das entidades governamentais (extinto MTE; entre outros) e privadas (Informes corporativos empresarial e sindical) que representam tanto os trabalhadores quanto a atividade mineral na área estudada. Nesta pesquisa registrou-se também métodos de extração e beneficiamento praticados nas áreas estudadas, para assim mapear ofícios, saberes e atuação do profissional na cadeia produtiva da atividade minerária.

 

Referências Bibliográficas:

Associação Brasileira de Cimento Portland. Portal ABCP. Fabricação do cimento. Disponível em: <https://abcp.org.br/cimento/fabricacao/>. Acesso em: 29 de abril de 2019.

Associação Nacional das Entidades de Produtores de Agregados para Construção. ANEPAC. Areia. Disponível em: < http://www.anepac.org.br/agregados/areia-e-brita/item/136-areia>.Acesso em 15 de agosto de 2020.

Departamento de Petrologia e Metalogenia-UNESP. Museu Heinz Ebert. Calcário. Disponível em: <https://museuhe.com.br/rocha/calcarios/>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

Departamento de Petrologia e Metalogenia-UNESP. Museu Heinz Ebert. Gnaisses. Disponível: <https://museuhe.com.br/rocha/gnaisses/>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

Equipe E-cycle. E-cycle. Como ocorre o processo de produção de produção do cimento e quais são seus impactos ambientais? Disponível em: <https://www.ecycle.com.br/component/content/article/35/1569-processo-de-producao-do-cimento-gera-emissoes-e-pode-diminuir-biodiversidade.html>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

Grupo Hobi. Extração de areia e brita. Disponível em: <http://grupohobi.com.br/mineracao/>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

Indústrias Extrativas. Mineralex, 2019. A extração do ferro da rocha: Como tudo acontece. Disponível em: <https://www.mineralex.net/a-extracao-do-ferro-da-rocha-como-tudo-acontece/>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

Instituto Brasileiro de Mineração. Iamgold tem licença para iniciar camapnha de sondagem em Pitangui. Disponível em: <http://www.ibram.org.br/150/15001002.asp?ttCD_CHAVE=235974#:~:text=A%20mineradora%20%C3%81gua%20Nova%20Pesquisas,On%C3%A7a%20do%20Pitangui%20(MG).&text=A%20%C3%81gua%20Nova%20tem%20149,77%20s%C3%A3o%20alvar%C3%A1s%20de%20pesquisa.>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

MARMO, A. O império do topázio. Veja São Paulo. 2017. Disponível em: <https://vejasp.abril.com.br/cidades/o-imperio-do-topazio/>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

MASSEI, ROBERTO. O difícil trato da natureza: Usos (e abusos) da argila. Disponível em: <http://snh2013.anpuh.org/resources/anpuhpr/anais/ixencontro/comunicacao-individual/RobertoMassei.htm>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

Minas Jr. Consultoria Mineral. Conheça o beneficiamento do minério de ferro. Disponível em: <https://www.minasjr.com.br/conheca-beneficiamento-minerio-ferro/>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

Mineradora Morro Grande. Argila. Disponível em: <http://www.mineradoramorrogrande.com.br/produtos-2/argila/>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

Museu das Minas e do Metal. O topázio imperial. Disponível em: <http://www.mmgerdau.org.br/museu-expandido/geo-o-topazio-imperial/>.Acesso em 15 de agosto de 2020.

NOGUEIRA, G. R. V. A extração de areia de areia em cursos d’água e seus impactos: proposição de uma matriz de interseção. Trabalho de conclusão de curso- UFJF. Juiz de Fora. 2016. Disponível em: <http://www.ufjf.br/engsanitariaeambiental/files/2014/02/TFC_Vers%C3%A3oFinal.pdf>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

Oxford Mineração. Tipos de argila. Disponível em: <https://oxfordmineracao.com.br/#tipos-de-argilas>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

PAMZ, Y. M. et al . A atividade de extração de argila e a relação homem-natureza. Revista GEAMA. Recife, v.1, n.2, mês, setembro, 2015. Disponível em: <http://www.journals.ufrpe.br/index.php/geama/article/viewFile/535/1431>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

PEIXOTO, R. J. A degradação ambiental oculta pelos garimpos de topázio imperial no Alto Maracujá. Comciência. Disponível em: <http://www.comciencia.br/dossies-1-72/reportagens/2005/11/11.shtml>. Acesso em 15 de agosto de 2020.

 

Redação Indústria Hoje. Indústria Hoje, 2014. Como é produzido o cimento?. Disponível em: <https://industriahoje.com.br/fabricacao-de-cimento>. Acesso em: 29 de abril de 2019.

SOLANCIS. Solancis, 2020. Extração do calcário. Disponível em: <http://www.solancis.com/pt/pedreiras/extracao>. Acesso em: 29 de abril de 2019.

Redação Indústria Hoje. Indústria Hoje, 2014. Como é produzido o cimento?. Disponível em: <https://industriahoje.com.br/fabricacao-de-cimento>. Acesso em: 29 de abril de 2019.

Projeto RelacionadoConexões de saberes sobre o trabalho:diversidade produtiva, ofícios e trabalhadores da mineração
Orientador(a)Daisy Moreira Cunha
Palavras-ChaveMineração; ofícios; trabalhadores.
Coautore(a)sCLAUDIO SCLIAR; LUCIANA GELAPE DOS SANTOS
Tags
Ir!
X