Espanhol

Coordenadoras de área: Elizabeth Guzzo de Almeida
                                            Luiza Santana Chaves
Supervisoras:
Sidnéia Antônia do Nascimento

Escola parceira: 

  • Escola Estadual Três Poderes

 

A implantação da língua espanhola por meio da lei federal 11.161 que diz respeito à sua oferta facultativa nas escolas redes públicas do Ensino Fundamental e obrigatória no Ensino Médio, acrescida de outros fatores políticos, econômicos e sociais vem contribuindo para a importância do espanhol no contexto nacional. Vale destacar também que uma série de ações do governo federal dos últimos anos são positivas para que o espanhol seja implantado nas escolas públicas. Como exemplo dessas ações, podemos citar: i) a publicação das Orientações Curriculares para o Ensino Médio (2006), primeiro documento do Ministério da Educação com um capítulo dedicado exclusivamente ao ensino de língua espanhola; ii) a inclusão das línguas estrangeiras (espanhol e inglês) nos editais dos programas do livro didático, como é o caso do Programa Nacional do Livro Didático – para o Ensino Fundamental, (PNLD 2011 e 2014) e para o Ensino Médio (PNLD 2012); iii) a inclusão das línguas estrangeiras também no Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE 2011 e 2014), a partir do qual várias escolas são beneficiadas com obras de caráter teórico-metodológico para os professores de espanhol (e de inglês); iv) a inclusão das línguas estrangeiras – espanhol e inglês – no Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM.

Esse novo cenário tem contribuído para a expansão do espanhol nas escolas de ensino regular, o que gera uma demanda cada vez maior por ações que reforcem e fomentem um ensino com qualidade do referido idioma nesse contexto. Tais ações devem incidir em vários níveis do processo educativo: na preparação e formação inicial e continuada, do professor do ensino básico; nos elementos necessários para a condução do processo de ensino e aprendizagem da língua, tais como recursos, materiais didáticos, infraestrutura, etc.; na preparação dos formadores de professores, no que se refere a pesquisas acadêmicas na área, à organização dos cursos de licenciatura em língua espanhola, etc.; e, finalmente, no que é o foco central e o sujeito mais importante em todo o processo: no aluno da escola regular, possibilitando-lhe um processo de aprendizagem do idioma que tenha um caráter formativo e não meramente instrumental, como se tem feito tradicionalmente no ensino de idiomas nas escolas.

No entanto, todas essas mudanças levam à necessidade de se conquistar vários avanços no contexto escolar, pois sabemos que o surgimento de uma nova lei ou a chegada de livros didáticos gratuitos para os alunos via PNLD e obras de cunho teórico-metodológico para os professores via PNBE ou a publicação de documentos oficiais que orientam o trabalho de determinado campo disciplinar não são suficientes para garantir e concretizar novas práticas educativas, novos papéis, novos objetivos e resultados no ambiente escolar. Neste sentido, a inserção do espanhol no Pibid vem somar forças às iniciativas mencionadas anteriormente e promover outras ações de formação inicial e continuada para professores de espanhol visando implementar práticas de ensino língua espanhola.

Os objetivos da proposta do projeto Pibid – Espanhol são:

  • orientar as atividades didático-pedagógicas desenvolvidas pelos licenciandos e pelo professor supervisor em escola pública de Educação Básica;
  • participar de reuniões periódicas com os alunos bolsistas e professor supervisor de escola pública da Educação Básica;
  • elaborar materiais de ensino e projetos para serem implementados nas salas de aula do professor supervisor juntamente com os licenciandos;
  • participar de discussões relativas aos documentos oficiais de línguas estrangeiras como o Currículo Básico Comum de Minas Gerais (CBC), as Orientações Curriculares para o Ensino Médio (OCEM), os PNLDs de línguas estrangeiras 2011, 2012 e 2014 do Ensino Fundamental e do Ensino Médio e os referenciais teóricos sobre letramentos, gêneros textuais, ensino e aprendizagem de línguas, entre outros;
  • participar dos encontros e/ou eventos nacionais e internacionais da área;
  • promover eventos, palestras e/ou oficinas com temáticas relevantes para o ensino do espanhol, com o objetivo de socializar e discutir a experiência da equipe de língua espanhola no Projeto Pibid, tanto com a comunidade acadêmica da UFMG, quanto com a comunidade externa interessada na área e com outros projetos Pibid –Espanhol no país.